‘Kimbe’ é preso pela morte de professor deixado com pés e mãos amarrados em MS

Duas pessoas já haviam sido presas pelo assassinato do professor

Mais um envolvido na morte do professor Márcio Luiz Ferreira dos Santos, 27 anos, ocorrida em fevereiro deste ano, acabou sendo preso em Corumbá a 444 quilômetros de Campo Grande. Ele estava foragido e acabou encontrado nesta quinta-feira (21). Duas pessoas já haviam sido presas acusadas do crime.

Foi preso Lucas Gabriel Silva de Almeida, de 26 anos, conhecido como “Kimbe”. Lucas estava foragido depois de ter a prisão temporária decretada pela Justiça. De acordo com as informações do Diário Corumbaense, Lucas foi preso em uma residência, no Loteamento Pantanal, parte alta de Corumbá e ainda não foi ouvido pelo delegado responsável pelo caso.

Três já foram presos pelo assassinato, sendo que o primeiro foi Luiz Carlos Urquidi Junior, de 20 anos, que se entregou no dia 21 de abril, após ter fugido para a Bolívia. Depois foi preso Matheus Costa de Arruda, de 21 anos, no dia 29 de abril. Participação de outras pessoas no crime não está descartada pela polícia.

O crime

O professor Márcio Luiz Ferreira dos Santos estava desaparecido desde a manhã de quarta-feira, 19 de fevereiro. Ele foi encontrado morto na madrugada do dia 20 de fevereiro com as mãos e pés amarrados para trás, e um corte no pescoço. O corpo estava sobre a cama em uma casa alugada em Corumbá, a 444 quilômetros de Campo Grande.

O irmão de Luiz Urquidi foi quem acionou a polícia, depois de o autor avisar que havia cometido um assassinato em uma ligação para a mãe deles. Após confessar o crime, o autor fugiu, mas se entregou no dia 21 de abril. Para o irmão, o suspeito teria dito que cometeu o crime porque vinha sendo ameaçado de morte pelo professor.

Márcio lecionava no ensino fundamental Corumbá e Ladário, também era integrante da escola de samba Vila Mamona.

 

 

'Kimbe' é preso pela morte de professor deixado com pés e mãos amarrados em MS
Mais notícias