Fim de semana teve mais de um caso de violência doméstica por hora em Campo Grande

Oito homens foram presos pelos crimes

O último fim de semana, dos dias 8 e 9 de fevereiro, foi marcado pelo registro de pelo menos 56 casos de violência doméstica em Campo Grande. O número expressa um total de mais de um boletim de ocorrência registrado na Casa da Mulher Brasileira por hora.

Conforme a delegada titular da Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher), Fernanda Félix, não houve registro de crimes mais graves como tentativa de feminicídio ou feminicídio. Mesmo assim, o fim de semana movimentou a delegacia, que registrou até a manhã desta segunda-feira (10) 56 boletins de ocorrência.

Ainda segundo a delegada, oito homens foram presos em Campo Grande, sendo 7 em flagrante e um em cumprimento de mandado. Todos os casos envolvem violência doméstica, como crimes de lesão corporal, ameaça, injúria, descumprimento de medida protetiva, calúnia, entre outros fatos.

Em 2020, Campo Grande teve até agora um caso de feminicídio. Regiane Fernandes de Farias, de 39 anos, foi assassinada a tiros pelo ex-namorado no dia 18 de janeiro. Ele tentou cometer suicídio depois dando um tiro na cabeça, que atingiu o ouvido. O homem foi levado para a Santa Casa de Campo Grande, onde permaneceu até a última semana, quando foi encaminhado ao presídio.

A defesa tenta pedido de liberdade, alegando insanidade mental do suspeito, que deve passar por análise pericial para que seja esclarecido se realmente necessita de um tratamento especial. A delegada Fernanda Félix relatou que antes de ir ao presídio a polícia tentou ouvir o preso, mas ele não quis dar declarações sobre o crime.

É preciso denunciar

Em outra matéria veiculada pelo Midiamax ainda este ano, a titular da Deam, delegacia que registrou só em 2019 8.086 boletins de ocorrência por violência doméstica, ressaltou a importância de denunciar o agressor logo no primeiro fato. Uma ameaça, um empurrão, uma agressão, tudo aquilo que configure violência física ou psicológica deve ser denunciado para a polícia. “É como um ciclo que, se a mulher não denuncia, pode acabar com um feminicídio”, afirmou a delegada Fernanda.

De 2018 para 2019 houve um aumento significativo no registro de boletins de ocorrência, de 7.415 para 8.086 segundo os dados da polícia. O fato pode estar ligado ao encorajamento das vítimas para que denunciem. Em Campo Grande os números de feminicídio reduziram de 7 em 2018 para 5 em 2019. Em todo o Estado foram registrados 18.689 casos de violência doméstica, praticamente 51 casos por dia.

Mais notícias