ExposedCG: Vítimas precisam de B.O. para evitar denúncia por calúnia, alerta Deam

Apontados em relatos têm procurado delegacias para registrar ocorrência

A delegada Fernanda Félix, titular da Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher), em conversa com o Midiamax reforçou nesta quarta-feira (3) a necessidade de que as vítimas de estupro ou assédio procurem a delegacia e registrem boletim de ocorrência, para que os casos sejam investigados na esfera criminal.

“Encorajamos as vítimas a registrarem a ocorrência. Quando elas ultrapassam o medo para procurarem a delegacia, são casos que aconteceram e que devem ser registrados”, afirmou a delegada.

Uma vítima que fez publicação no Twitter, mas não chegou a procurar a polícia, pode ser investigada por calúnia caso o denunciado registre boletim de ocorrência. Por isso a importância de denunciar o crime na delegacia. A partir do registro, serão apurados os casos.

Se ficar comprovada a denunciação caluniosa, a pena para o crime é de 2 a 8 anos. A delegada reforça a importância de registrar a ocorrência para que a vítima tenha a sua história investigada e não acabe se tornando alvo do suposto criminoso, que acaba registrando ocorrência como garantia legal.

Na Deam, já corre investigação de um fotógrafo acusado de assédio por mulheres de Campo Grande no grupo. A investigação está aos cuidados da delegada Anne Karine e a orientação é de que vítimas de assédio por fotógrafos procurem a delegacia.

ExposedCG: Vítimas precisam de B.O. para evitar denúncia por calúnia, alerta Deam
Mais notícias