Ex-guarda municipal que matou Maxelline e amigo será ouvido nesta quinta-feira

Mãe da vítima também deve participar da audiência

Acontece às 14 horas desta quinta-feira (12) a primeira audiência de instrução para interrogatório de Valtenir Pereira da Silva. O ex-guarda municipal é acusado de matar a ex-namorada Maxelline da Silva dos Santos e Steferson Batista de Souza. O crime aconteceu em 29 de fevereiro e a namorada de Steferson também foi ferida, mas resistiu.

Ao todo, conforme determinação do juiz Carlos Alberto Garcete de Almeida, da 1ª Vara do Tribunal do de Campo Grande, foram intimadas 6 testemunhas. Entre elas, está a mãe de Maxelline. Este será o primeiro interrogatório de Valtenir no decorrer do processo, após a prisão feita pela Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher).

Duplo homicídio

Naquele dia 29 de fevereiro, a vítima Maxelline estava na casa de Steferson e da namorada, onde participava de um churrasco. Em determinado momento, Valtenir chegou e os dois começaram a conversar do lado de fora. A princípio as investigações apontaram que ele não aceitava o término do relacionamento e tentava reatar.

Além disso, a vítima teria tentado dar outras chances a Valtenir, mas por conta de agressões solicitou medida protetiva contra ele. Mesmo assim, naquela noite os dois acabaram discutindo, quando Valtenir tentou tirar a vítima do local. Neste momento, a amiga de Maxelline tentou ajudá-la.

Conforme aponta a denúncia do (Ministério Público de ), Maxelline entrou na frente para proteger a amiga, que correu para dentro da casa. Mesmo assim Valtenir atirou, atingindo a amiga da ex-namorada nas costas. Em seguida Steferson saiu para ver o que estava acontecendo e também foi atingido por um tiro no tórax.

Maxelline foi atingida em seguida por um tiro na cabeça. Ela e o amigo morreram no local, já a terceira vítima foi socorrida e se recuperou do ferimento. Valtenir ainda fugiu naquele dia e permaneceu escondido. Equipes policiais fizeram ações, inclusive com helicóptero na tentativa de localizar o acusado, que acabou preso no dia 6 de março.

O ofereceu denúncia por homicídio qualificado por motivo torpe, também pela violência doméstica, caracterizando feminicídio. Além do homicídio contra Steferson, também qualificado por motivo torpe. Ainda recurso que ficitultou a defesa da vítima, descumprimento de medida protetiva e tentativa de homicídio.

Ex-guarda municipal que matou Maxelline e amigo será ouvido nesta quinta-feira
Mais notícias