Em cena do crime, serial killer admitiu que matou 7ª vítima para ficar com casa

Timotio Roman foi morto a pauladas no último dia 2 de maio, um dia após a morte de José Leonel, na Vila Nasser

Cleber de Souza Carvalho, o serial killer que matou ao menos 7 pessoas em Campo Grande, foi escoltado à viatura sob xingamentos e gritos de ‘assassino’ por familiares e vizinhos, na tarde deste sábado (16). Ele foi conduzido pela polícia ao local onde foi encontrado o corpo do aposentado Timotio Pontes Roman, de 62 anos – a sétima vítima de Cleber e sexta localizada em menos de dois dias –  após a polícia suspeitar do envolvimento do pedreiro.

Em cena do crime, serial killer admitiu que matou 7ª vítima para ficar com casa
Foto: Renan Nucci | Midiamax

De acordo com o delegado titular da DEH (Delegacia Especializada de Homicídio), Carlos Delano, o corpo foi encontrado após familiares, preocupados com o desaparecimento, decidirem averiguar a casa onde Timotio morava. Um deles decidiu entrar na casa e sentiu o forte odor vindo do poço localizado nos fundos da residência. Ao observar o local, notou que poderia haver um corpo e acionou a polícia

O delegado afirmou que, inicialmente, não havia conexão comprovada entre o serial killer e o achado de cadáver, mas a suspeita foi despertada por se tratar da mesma região onde outros 5 corpos foram localizados na sexta-feira (16). Assim, Cleber foi levado ao local, onde confessou mais um crime.

O pedreiro admitiu à polícia que matou Timotio a pauladas no último dia 2 de maio, um dia após matar José Leonel, na região da Vila Nasser. Na ocasião, ele teria ido à casa do aposentado para tocar uma obra na calçada, para a qual Timotio já teria até adquirido o material de construção. Assim, ele teria aproveitado que o idoso morava só para matá-lo e ficar com o imóvel. Na sequência do crime, ele ocultou o corpo no poço. O titular da DEH não descartou que novos crimes sejam identificados e conectados ao serial killer e admitiu que investiga um 8º assassinato, sem fornecer mais detalhes.

Cleber permaneceu no local até o resgate do corpo de Timotio, que estava num poço de cerca de 10 metros de profundidade, em avançado estado de decomposição. Após o resgate, Cleber foi reconduzido à viatura, sob escolta policial e gritos de protesto de vizinhos e familiares, que conheciam o pedreiro.

Ao Jornal Midiamax, vizinhos disseram que Cleber era conhecido por todos e tinha até apelido: Filé. Ele seria um homem que, apesar da aparência estranha, estaria acima de qualquer suspeita.

Em cena do crime, serial killer admitiu que matou 7ª vítima para ficar com casa
Mais notícias