Dona de boca de fumo é presa por manter em cárcere e torturar casal por dívida

Dupla viajava e parou na cidade para usar entorpecentes

Na tarde de segunda-feira (13), mulher de 36 anos foi presa, apontada como dona de uma boca de fumo em Cassilândia, cidade que fica a 430 quilômetros de Campo Grande. Ela é suspeita de manter em cárcere e torturar um casal que viajava e, ao passar pela cidade, parou no local para fazer uso de entorpecentes.

Segundo as informações da polícia, no domingo (12) as vítimas viajavam para São Pedro, na região de Nioaque, quando passaram por Cassilândia e decidiram parar. O casal contou que é usuário de drogas e procurou um ponto de vendas para comprar crack. Eles souberam da boca de fumo comandada pela mulher de 36 anos e lá fizeram uso da droga.

A casa fica na frente do Fórum da cidade e as vítimas permaneceram até por volta das 23 horas e pagaram aproximadamente R$ 500. Quando acabou o dinheiro, a mulher de 36 anos, acompanhada de um outro suspeito, manteve o casal em cárcere privado. O cartão de débito foi retirado das vítimas e o autor fez compras, totalizando mais aproximadamente R$ 500.

Quando o dinheiro das vítimas acabou, elas passaram a ser agredidas e torturadas com golpes de facão, ferro, fio, madeiro e foice. O homem, de 40 anos, conseguiu fugir e a mulher de 54 anos foi levada pela autora para outra casa. Neste momento a vítima avistou uma viatura da Polícia Militar e gritou por socorro.

A suspeita acabou presa em flagrante por lesão corporal dolosa, quando há intenção, cárcere privado e tráfico de drogas. O outro suspeito não foi localizado.

Mais notícias