Defesa pede absolvição de Pâmela por matar idosa com pancadas na cabeça

Foi alegado legítima defesa

A defesa da motorista de aplicativo, Pamela Ortiz entrou com pedido de absolvição sumária da cliente alegando legítima defesa para o assassinato da idosa Dirce Santoro Guimarães de 79 anos, no dia 23 de fevereiro de 2019.

Segundo o pedido da defesa, Pâmela teria agido em legítima defesa já que no dia dos fatos após estacionar o carro a pedido de Dirce. Um motociclista teria parado na frente do veículo e vindo na sua direção a tirando do carro pelos cabelos. Na peça, o relato de Pâmela é de que o homem teria tentado enforca-la e para se defender teria conseguido chegar até o porta-malas do veículo pegando um tipo de machadinha, que estava guardado.

Em seguida, Pâmela contou que visualizou Dirce vindo em sua direção e não sabia se era para ajudar ela ou o homem que estava tentando enforcá-la. Nesse momento segundo a motorista de aplicativo não teria visto mais nada, e apenas, desferido golpes contra a idosa.

Diante dos relatos feitos pela motorista de aplicativo, a defesa pediu pela absolvição sumária em razão da legitima defesa ou pela desclassificação afastando as qualificadoras do crime, caso não seja o entendimento de absolvição pelo juiz.

Em novembro do ano passado, a Justiça negou habeas corpus com pedido de liminar. A defesa recorreu alegando constrangimento ilegal por “excesso de prazo na formação da culpa”, pois a prisão já dura mais de 250 dias e Pâmela não poderia ter seu direito à liberdade prejudicado pela morosidade do judiciário. Além disso, alegou que decisão anterior que negava relaxamento da prisão era desprovida de fundamentação idônea.

Relembre o caso

Pamela Ortiz de Carvalho foi presa no dia 25 de fevereiro de 2019, acusada do assassinato da idosa de 79 anos, Dirce Santoro Guimarães Lima, que aconteceu no dia 23. Dirce foi morta com pancadas na cabeça, que foi batida contra um meio-fio. O rosto da vítima ficou desfigurado.

A idosa desapareceu depois de entrar no carro Renault Sandero de Pâmela. As duas teriam se conhecido em novembro de 2018.

A suspeita confessou o crime e disse que houve uma discussão dentro do veículo entre ela e a idosa, e que Dirce havia pulado do carro em movimento, mas o que a polícia descarta. Segundo informações da polícia, a vítima teria se queixado com vizinhas que desde que conheceu Pamela compras que não era dela estavam sendo feitas em seu cartão de crédito.

O corpo de Dirce foi encontrado atrás de uma fábrica de peças íntimas, em Indubrasil. Ele estava jogado em um amontoado de lixo

Mais notícias