Crimes contra a vida, roubos e embriaguez diminuem, mas furtos disparam na quarentena

Quarentena e toque de recolher mudam cenário da violência em Campo Grande

Balanço do TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) com base nos procedimentos enviados ao Poder Judiciário de Campo Grande mostra que a violência diminuiu nos últimos dias em Campo Grande, durante o período de quarentena em que as pessoas ficam em isolamento social, como forma de evitar contaminação do coronavírus. Crimes contra a vida, roubos e embriaguez ao volante diminuíram, mas cresceram as estatísticas de pequenos furtos.

Conforme nota do TJMS, como como boa parte da população trabalha em casa e não sai à noite em razão do toque de recolher, houve uma redução de 26% no número de prisões em flagrante apresentadas na justiça, quando comparado com a quantidade de audiências realizadas nas duas semanas anteriores ao decreto municipal.

Entre os dias 23 e 27 de março, foram 29 crimes analisados pelos juízes em plantão criminal, contra a média normal de 40 audiências por semana. Nos 15 dias que antecederam as restrições de circulação de pessoas, as audiências de custódia registraram sete tentativas de homicídio e uma tentativa de feminicídio, sendo quatro delas apenas na última semana. 

Além disso, chegaram ao conhecimento da Justiça três importunações sexuais, dois estupros e dois casos de pedofilia. Na primeira semana de quarentena, porém, não foi feito qualquer registro de qualquer um desses crimes. Outro delito que sumiu das pautas durante a última semana segundo o TJMS, foi o de casos de motoristas embriagados. 

Enquanto entre os dias 9 e 13, quatro pessoas foram detidas por dirigirem embriagadas, e dos dias 16 a 20, outros cinco motoristas tiveram que ser levados a juízo por esse crime, na primeira semana de quarentena não se registrou, nas audiências de custódia, a ocorrência de prisões em flagrante neste sentido.

Um outro tipo de delito, porém, surgiu nos últimos dias, mais especificamente nos que antecederam o decreto da quarentena, qual seja, o de falsificação, corrupção, adulteração ou alteração de produto destinado a fins terapêuticos. O produto em questão foi o Álcool em Gel, bem que tem sumido constantemente das prateleiras de farmácias e mercados. Quatro pessoas foram presas na Capital por fabricarem irregularmente o produto.

Nem todos os saldos são positivos. Houve um pequeno aumento no número de furtos, a maior parte deles a comércios. Enquanto na semana anterior à quarentena foram 10 os furtos registrados, esse número subiu para 12 na semana passada (quase metade de todos os crimes cometidos), com a apreensão de dois menores.

Os menores de idade, inclusive, foram os responsáveis por um dos dois únicos roubos dos últimos dias. O outro único crime cometido com violência nessa semana, foi o latrocínio praticado por dois jovens contra um homem de 49 anos. Pode-se afirmar que, entre os autos de prisão em flagrante trazidos a conhecimento do Judiciário, houve uma redução de um quarto nos crimes de forma geral e de 100% nos delitos contra a vida, sexuais e de direção irresponsável.

Crimes contra a vida, roubos e embriaguez diminuem, mas furtos disparam na quarentena
Mais notícias