Corregedoria vai investigar PMs que cobraram R$ 200 mil para liberar cigarreiros

Policiais foram presos no âmbito da Operação Trunk, realizada pela PF e PRF

O coronel Voltaire Flamarion Garcia Diniz, Corregedor-Geral da Polícia Militar de Mato Grosso do Sul, instaurou Inquérito Policial Militar para apurar a conduta de cinco policiais investigados no âmbito da Operação Trunk, deflagrada pela Polícia Federal e PRF (Polícia Rodoviária Federal) no ano passado, para desarticular esquema de contrabando de cigarro.

Conforme denúncia os militares, teriam exigido vantagem indevida em pelo menos três ocasiões, para permitir a passagem de produtos de contrabando e descaminho na região de Sidrolândia, onde eram lotados. Além disso, falsificaram boletins de ocorrência para que a fraude não fosse descoberta. O juiz Alexandre Antunes da Silva designou  para o dia 14 de janeiro, às 14h30, a oitiva dos policiais federais que participaram da operação.

Crimes

Em um dos casos, no dia 31 de outubro de 2018, com base em áudios interceptados pela PF, os policiais abordaram dois batedores e duas carretas com cigarro contrabandeado. Eles exigiram 200 mil para liberar a carga, e soltaram os motoristas e bateadores para que levantassem o valor. O grupo ficou escoltando a carga, enquanto os criminosos tentavam obter o dinheiro. 

Os policiais federais tentaram interceptar o grupo, que identificou a presença deles nas proximidades e rapidamente fez a apreensão legal da carga e chegou a divulgar o fato à imprensa. No boletim de ocorrência, alegaram que os motoristas fugiram a pé e abandonaram os veículos. No entanto, o fato era falso, já que provas apontavam que tinham exigido a propina.

Corregedoria vai investigar PMs que cobraram R$ 200 mil para liberar cigarreiros
Mais notícias