Corregedoria da PM instaura inquérito para investigar major que matou ex-namorado

Major havia mantido relacionamento por três meses com Hilário

A Corregedoria da Polícia Militar de Mato Grosso do Sul vai instaurar um inquérito e procedimento administrativo para investigar a major que matou a tiros o ex-namorado, Hilário Bueno de Camargo de 52 anos, nesta quinta-feira (20), na Vila Carvalho, em Campo Grande.

Segundo a assessoria da Polícia Militar, um procedimento administrativo deve ser aberto, assim como, instaurado um inquérito. Por enquanto, a major não será afastada de suas funções, segundo a assessoria. Não há prazo para o término do inquérito.

A major já havia sido feita refém do namorado quando foi mantida em cárcere privado e agredida por ele, em setembro de 2019. Ela já havia pedido medidas protetiva contra o homem, que não aceitava o fim do relacionamento.

Nesta quinta (20), a major chegou em casa por volta das 16h30 e percebeu que havia movimentação em sua cozinha, momento em que se trancou no quarto e pegou sua arma. Ela, então, abriu a porta e se deparou com Hilário vindo em sua direção com um objeto brilhante nas mãos, que acreditou ser uma arma.

A major fez um disparo em direção a Hilário, que continuou na sua direção momento em que fez mais um disparo contra a vítima. Em seguida, a militar saiu gritando, “homem invadiu a casa” e um vizinho foi em seu socorro. O Corpo de Bombeiros foi chamado e socorreu Hilário que morreu logo depois de dar entrada na Santa Casa.

A major foi levada para o hospital já que estava em estado de choque. Um vizinho contou que na noite anterior percebeu que o carro de Hilário estava parado próximo à casa da major, onde ficou por cerca de 1 hora ‘cuidando’ a residência. Três cápsulas deflagradas foram recolhidas na casa da militar, e a faca que estaria com Hilário também foi apreendida.

Mais notícias