Corpo encontrado atrás de cemitério pode ter sido morto com golpes de cerâmica

Delegado pedirá laudos para identificar causas da morte e identificação da vítima

O pedaço de cerâmica que estava ao lado do corpo encontrado na manhã deste sábado (25) atrás do Cemitério Parque das Oliveiras, pode ter sido usado com a arma do crime.

Conforme o delegado plantonista da Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) da Cepol, Jarley Inácio de Souza, a vítima estava com muitas lesões no pescoço e no rosto, o que o deixou desfigurado.

“Ele tinha uma tatuagem no antebraço direito e de acordo com a perícia, o crime pode ter acontecido há 18h, provavelmente no início da tarde de ontem”, comentou o delegado. Testemunhas ainda informaram que o local é sempre usado com ponto para usuários de drogas.

A cerâmica que pode ter sido usada nas agressões é de um vaso sanitário quebrado e foi apreendida junto com uma carenagem de automóvel, que também estava ao lado do corpo.

O delegado informou que solicitará três laudos no Imol (Instituto de Medicina e Odontologia Legal): necroscópico, para comprovar as causas da morte; papiloscópico, para identificar a vítima através das digitais; e um laudo metalográfico, para analisar a carenagem aprendida.

Corpo encontrado atrás de cemitério pode ter sido morto com golpes de cerâmica
Mais notícias