Coragem: mulheres enfrentam medo e denúncias contra companheiros aumentam

Em 2019, foram registrados na Deam 8 mil boletins de ocorrência

O medo, a insegurança de ser perseguida e acabar perdendo a vida nas mãos dos companheiros vem sendo enfrentado por mulheres que estão cada vez mais denunciando os agressores, o que está aumentando a cada dia o número de registro de boletins de ocorrência na Deam (Delegacia Especializada Atendimento à Mulher), em Campo Grande.

Segundo a delegada da especializada Sueili Araújo, “o aumento se deve por conta das políticas públicas e pelo fato das mulheres estarem denunciando cada vez mais”, diz a delegada.

De janeiro a novembro de 2019 foram registrados na Deam 8 mil boletins de ocorrência por ameaça, agressões físicas, descumprimento de medidas protetivas, contra 7 mil registros em 2018. Sobre os casos de feminício em Campo Grande houve uma redução de 16%.

Na Capital, em 2019 foram registrados cinco feminícidios contra seis em 2018. No Estado foram registrados 26 casos de morte de mulheres por seus companheiros. “Nos primeiros sinais de violência, a mulher deve fazer a denúncia para não chegar em casos extremos de violência doméstica”, afirmou a delegada.

Nos dois primeiros dias de 2020, a delegacia especializada já foi procurada por 39 mulheres, que foram vítimas de seus companheiros com agressões e ameaças.

O que fazer?

Há diversas saídas para aqueles que estão em um relacionamento abusivo. Se você se identificou com os sinais, procure ajuda! Seja de amigos, ou de um profissional. Em casos graves, a principal delas é a denúncia. Ligue para o 180, a Central de Atendimento à Mulher, que funciona todos os dias da semana, 24 horas por dia, ou procure uma Delegacia da Mulher. Em Campo Grande, a Deam fica localizada na R. Brasília, s/n – Jardim Ima e atende pelo telefone (67) 4042-1324 ou (67) 2020-1300.

Mais notícias