Com laboratório de cocaína em casa, traficante que fazia delivery é preso em Campo Grande

Traficante misturava remédios e bicarbonato a droga para render mais

Equipes da (Delegacia Especializada de Repressão ao Narcotráfico) prenderam nesta quarta-feira (21), um traficante de 33 anos, dono de um laboratório de refino de cocaína no , em Campo Grande. Ele vendia a droga no sistema delivery, e acabou preso depois de fazer entregas na Capital.

Os policiais já vinham monitorando o traficante, sendo que nesta quarta (21) quando ele saiu para mais uma entrega em uma picape acabou abordado. Durante a revista foi encontrada uma porção de cocaína em cueca. Ele confessou que fazia a comercialização da droga, como também, tinha um laboratório em casa.

A cocaína que antes era comprada de um fornecedor de Campo Grande teve de ser adquirida em Miranda, já que o revendedor da droga na Capital havia sido preso em outra operação da . O traficante contou que para dobrar as porções que revendia, ele misturava a cocaína remédios e bicabornato, assim, cada 10 gramas da droga ere vendida a R$ 220.

Ele ainda disse que com a falta de matéria-prima, já que houveram muitas apreensões nos últimos meses, o quilo da cocaína subiu de R$ 20 mil para R$ 22 mil. O homem abastecia pequenos traficantes de Campo Grande, e tinha um lava-jato de fachada para fazer a lavagem da vendada droga.

Na casa dele, os policiais apreenderam duas prensas usada para a fabricação das porções de cocaína, como também R$ 500 em notas de 50, além de 400 gramas de cocaína avaliada em R$ 9 mil.

Com laboratório de cocaína em casa, traficante que fazia delivery é preso em Campo Grande
Mais notícias