Com arame farpado, linha internacional que separa Ponta Porã de Pedro Juan é fechada

Rua que separa Ponta Porã de Pedro Juan foi totalmente fechada e está sendo monitorada por militares

Com o total bloqueio das fronteiras, militares do exército paraguaio trancaram os acessos para o Brasil nesta quarta-feira (25). Com arame farpado e pneus, a linha internacional que é apenas uma rua que separa a cidade de Ponta Porã, a 346 km de Campo Grande, da cidade vizinha, Pedro Juan Caballero, no , foi totalmente fechada e está sendo monitorada pelos militares.

O fechamento das fronteiras começou na semana passada, como medida de evitar a disseminação do novo coronavírus (Covid-19). O intensifica a fiscalização nessas áreas, com medidas drásticas para impedir a passagem de estrangeiros, também minimizar o risco de contaminação. O chegou a abrir valas na cidade de Ypejhú, na fronteira com o município sul-mato-grossense de Paranhos.

No país vizinho foi adotado toque de recolher nas cidades fronteiriças, das 20 horas da noite às 4 horas da manhã, além disso, o exército fechou rotas de entrada no país, determinou também o fechamento de estabelecimentos comerciais e escolas.

Na fronteira entre Capitan Bado (PY) e Coronel Sapucaia, em Mato Grosso do Sul, está completamente proibida a passagem de brasileiros para o outro lado. O mesmo acontece em Pindoty Porã, na fronteira com Sete Quedas, em Bella Vista Norte, na fronteira com Bela Vista, em Salto del Guaíra, na fronteira com Mundo Novo.

Brasil

O governo brasileiro decidiu pela restrição, excepcional e temporária, da entrada de estrangeiros pelas fronteiras do país. A Portaria nº 125 vale para cidadãos da Argentina, Bolívia, Colômbia, , Peru, Suriname, Guiana e Guiana Francesa e vale pelo prazo de quinze dias desde quinta-feira (19). A medida veta a entrada por rodovias ou meios terrestres. Será editada uma Portaria específica em relação às fronteiras terrestres com o Uruguai.

O restrição decorre de recomendação técnica da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e tem como objetivo impedir a disseminação do novo coronavírus (Covid-19). A medida não se aplica a brasileiros, imigrante com autorização de residência definitiva, ao profissional estrangeiro em missão a serviço de organismo internacional e ao funcionário estrangeiro acreditado junto ao Governo Brasileiro.

Está liberado o tráfego do transporte rodoviário de cargas, o tráfego de residentes de cidades gêmeas com linha de fronteira exclusivamente terrestre, além da execução de ações humanitárias transfronteiriças previamente autorizada pelas autoridades sanitárias. A Portaria é assinada pelos ministros da Casa Civil, Braga Netto; da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro; e da Saúde, Luiz Henrique Mandetta.

Com arame farpado, linha internacional que separa Ponta Porã de Pedro Juan é fechada
Mais notícias