Bombeiro preso durante operação contra pedofilia pode ser expulso da corporação

Um procedimento será instaurado na esfera militar para apurar conduta do bombeiro

O bombeiro da reserva de 51 anos preso na manhã desta terça-feira (18) durante a deflagração da operação Luz na Infância contra a pedofilia pode ser expulso da corporação, segundo a assessoria do Corpo de Bombeiros.

O tenente-coronel Carminati disse que um procedimento na esfera militar será instaurado para apurar a conduta do bombeiro, que foi preso com material pornográfico contendo imagens de crianças e adolescentes, no bairro Caiçara, em Campo Grande. O procedimento não tem prazo para ser concluído.

Segundo o tenente-coronel se for determinada a sua prisão preventiva, o bombeiro deve ser levado para um presídio militar até o término da apuração dos fatos que corre em paralelo a investigação da Polícia Civil.

Cinco mandados foram cumpridos no Estado, sendo dois em Campo Grande, um em Bonito, um em Dourados e um em Três Lagoas, onde um computador foi apreendido na casa de um suspeito de compartilhar imagens de pornográficas de crianças.

São cumpridos em todo o Brasil e em quatro países, 112 mandados de busca e apreensão. Em Mato Grosso do Sul, são cumpridos cinco mandados em quatro cidades do Estado.

Os mandados de busca e apreensão que estão sendo cumpridos no Estado foram identificados pela Polícia Civil, por meio da Depca (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente), com base em informações coletadas em ambientes virtuais com indícios suficientes de autoria e materialidade delitiva.

Bombeiro preso durante operação contra pedofilia pode ser expulso da corporação
Mais notícias