Após criança de MS ser chamada no ‘desafio do Pateta’, polícia orienta pais a manterem diálogo

Criança foi chamada por personagem criado na internet que incita ao suicídio e avisou os pais

Após uma criança ser chamada no ‘desafio do Pateta’, que incita ao suicídio, a Polícia Civil em Mato Grosso do Sul alerta: a melhor forma de evitar que o crime aconteça é o diálogo entre pais e filhos. Isso porque a menina já havia sido orientada pela mãe sobre o personagem e ao receber uma mensagem suspeita no último domingo (28), ela avisou os pais.

De acordo com a titular da Depca (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente), Marília de Brito Martins, com a pandemia e as aulas suspensas, as crianças e adolescentes estão mais na internet. “Estão mais na televisão, nas redes sociais, jogos, salas de bate papo”, disse. “Por isso o principal método para evitar que o crime ocorra, é o diálogo”, destaca a delegada.

Marília explica que, mesmo sendo difícil controlar o que as crianças e adolescentes estão fazendo, os pais devem chegar em casa e saber como foi o dia do filho, fazer questionamentos. “Devem chegar em casa e perguntar se algo ruim ou bom aconteceu, se algo está incomodando”, alerta. “Os pais também devem ensinar que a internet é um ambiente que tem muitas coisas boas, mas tem elementos ruins, como pessoas que podem se aproveitar de dados, de fotos e tentar aliciar a criança ou adolescente”, complementa.

Sobre o caso de Aquidauana, a 143 quilômetros de Campo Grande, a delegada afirmou que o crime não ocorreu pelo trabalho preventivo feito pelo estado, sociedade e a família. “O fato dessa criança sequer ter sido vítima de crime, já é um ponto positivo de que a família e o estado estão alertas no sentido de evitar esse tipo de ocorrência no ambiente da internet”.

A delegada afirma que, como a criança avisou aos pais sobre a mensagem e não houve crime, não há a necessidade do registro de ocorrência. “Muitas vezes o ato de um perfil desconhecido dizer um ‘olá’, ‘tudo bem’, não é suficiente para um registro de ocorrência”.

No entanto, Marília também alerta que os Patetas mudam cotidianamente. “A criança pode ser abordada por qualquer pessoa, em qualquer época, que também podem se valer da imagem do pateta para cometer crimes”, frisa.

Caso de Aquidauana

A mãe de uma criança de 11 anos passou por um susto após a filha receber mensagem de um homem vestido de Pateta no último domingo (28). A conversa não teria se prolongado, pois a criança já havia sido instruída pelos pais e avisou assim que recebeu a mensagem. A Polícia Civil de MS já havia recebido alerta sobre o caso do Pateta, personagem usado na internet para incitar crianças ao suicídio.

O suposto autor da mensagem se identificou pelo Instagran como JhonatanGaliindo2016 e começou a conversa com um Hola, “Olá”, em espanhol, o que pode indicar que o criador do perfil não seja do Brasil. As primeiras investigações afirmam que o desafio do Homem Pateta teria sido criado no México.

Desafio do Pateta sucede ‘baleia e momo’ na internet

Casos assim já foram registrados no Estado, quando do desafio da ‘Baleia Azul’, que teve origem na Rússia, onde eram distribuídos desafios em um grupo secreto onde os contatos eram iniciados pelo Facebook.

Entre os desafios estavam provas mórbidas que de certa forma preparam os participantes para o suicídio. Os casos foram registrados em 2017.

Em 2018, caso semelhante foi registrado, ‘Boneca Momo’ uma figura medonha, de olhos esbugalhados e parecida com uma mulher pássaro. Na corrente, alguém se passa pelo personagem e lança um jogo com desafios perigosos, como o sufocamento e enforcamento.

Após criança de MS ser chamada no 'desafio do Pateta', polícia orienta pais a manterem diálogo
Mais notícias