Após comunicado emitido por PCC, dono de ‘carrões’ incendiados desaparece na fronteira

O narcotraficante Rojas Calonga teria desrespeitado os líderes da facção criminosa

A polícia de na fronteira com Ponta Porã, a 346 quilômetros de Campo Grande, procura pelo narcotraficante Artemio Júnior Rojas Calonga, que está desaparecido desde que ‘carrões’ de sua propriedade foram queimados no , na última terça-feira (22).

Rojas Calonga desapareceu após um comunicado da facção criminosa (Primeiro Comando da Capital) que condenava o narcotraficante a morte por desrespeitar e confrontar os líderes da facção.

Na nota o ainda teria alertado outros membros para não ajudarem Rojas, e caso o fizessem seriam punidos pela facção, segundo o site ABC Color. Após a nota ser divulgada, os três carros de luxo do narcotraficante foram incendiados.

Mas informações passadas, são de que os chefes do ordenaram descobrir quem está por trás da queima dos veículos. A facção também estaria tentando localizar Rojas Calonga.

Os carros incendiados estavam em locais diferentes. A suspeita é de que tenham sido utilizados em crimes e os incêndios seriam para apagar as provas.

Após comunicado emitido por PCC, dono de ‘carrões’ incendiados desaparece na fronteira
Mais notícias