Apontado como um dos chefes do tráfico na fronteira, Galant é transferido para MS

Elton estava em Bangu I e chegou a ser apontado como quem teria violado túmulo de Rafaat

Elton Leonel Rumich da Silva, traficante da fronteira entre o Brasil e o Paraguai conhecido como Galant, será transferido para o Presídio Federal de Campo Grande, conforme despacho publicado nesta terça-feira (18) no Diário Oficial do TRF 3 (Tribunal Regional Federal da 3ª Região). Atualmente, Galant está em Bangu I, no Rio de Janeiro.

Galant chegou a ser apontado como o líder do PCC (Primeiro Comando da Capital) que teria violado o túmulo de Jorge Rafaat, mas a Justiça Federal constatou que o corpo do traficante estava intacto e o absolveu por falta de provas.

Preso no Rio, Elton foi condenado a 19 anos de prisão pela Justiça Federal de Ponta Porã, município distante 346 quilômetros de Campo Grande, pelo crime de organização criminosa.

Além da sentença de prisão, Galan também foi condenado ao pagamento de multa de aproximadamente R$ 4 milhões. A Justiça levou em conta que Galan pratica ações criminosas organizadas pelo menos desde 2005 e, dentro da organização, era responsável por realizar as compras de drogas em grande escala, administrar os armamentos e os veículos, controlar o pagamento de propina para policiais paraguaios e controlar o pagamento de salários aos membros da organização.

Conforme consta na decisão da 2ª Vara Federal de Ponta Porã “todo o histórico da vida pregressa do acusado Elton Leonel, trazido didaticamente nas alegações finais do órgão ministerial, é relevante para ficar claro que ele, ao menos desde os 20 anos de idade, vive exclusivamente da prática de crimes, sem prova, é bom também ressaltar, do exercício de qualquer atividade econômica lícita que lhe gerasse renda também lícita”.

Apontado como um dos chefes do tráfico na fronteira, Galant é transferido para MS
Mais notícias