Apontado como líder do PCC pode ir a presídio federal após prisão em MS

Edson Barbosa Salinas, de 32 anos, vulgo ‘Salinas Riguaçu’, preso na noite de domingo (19), pode ser transferido a um presídio federal. A transferência deve ser tratada ainda esta semana entre o secretário de Justiça e Segurança Pública de Mato Grosso do Sul, Antonio Carlos Videira e o ministro da Justiça Sergio Moro, publicou o site MS em Foco.

Edson foi preso por equipes da Polícia Civil de Campo Grande que fazem reforço na região de fronteira em Ponta Porã, a 346 quilômetros, após a fuga de 75 detentos do presídio paraguaio.

Edson foi preso em flagrante, portando ilegalmente uma pistola na Avenida Brasil. A prisão aconteceu durante uma briga de trânsito entre ele, o cunhado de 28 anos e um outro motorista de 23 anos que estava com a mulher e dois filhos.

Líder do PCC na fronteira

De acordo com o relatório policial, Edson Salinas, vulgo ‘Salinas Riguaçu’, é sucessor de Sérgio Arruda Quintiliano Neto, o ‘Minotauro’. Ele é ainda apontado como atual liderança do PCC (Primeiro Comando da Capital) na região de fronteira entre Ponta Porã e Pedro Juan Caballero. Os dados mostram que, em conjunto com outro acusado, que seria seu braço direito e está foragido, ele tenha liderado ataques contra rivais.

As investigações apontam que Salinas é responsável pelas execuções de Chico Gimenez, tio de Jarvis Pavão, e da advogada Laura Marcela Casuso. Ainda há informação de que ele era proprietário da casa onde foram presos 15 membros do primeiro escalão do PCC, comandados por Minotauro, em fevereiro de 2019.

Parte desses membros da organização criminosa que foram presos estavam entre os que fugiram do Presídio de Pedro Juan Caballero na madrugada de domingo, por isso a polícia pede atenção redobrada na prisão de Salinas, já que pode haver um plano de libertação do preso.

Em contrapartida, o advogado de Edson Salinas já entrou na segunda-feira (20) com pedido de relaxamento de prisão ou liberdade provisória. Foi verificado que ele não tem qualquer passagem policial no Brasil, sem antecedentes, mas não são descartados os crimes de pistolagem no Paraguai.

O Jornal Midiamax confirmou que Edson foi removido para Dourados, cidade a 225 quilômetros de Campo Grande, de helicóptero por equipe do GPA (Grupo de Policiamento Aéreo). Ele teria sido transferido por conta da periculosidade que representa e outro homem também foi levado com ele, mas até o momento não foi divulgada a identificação. Não há informação se ele será encaminhado para outra cidade posteriormente.

Prisão em briga de trânsito

A princípio, o rapaz de 23 anos, que também portava uma pistola no carro, estava a caminho da casa da sogra com a família em um Gol quando deu sinal de luz alta para o condutor da SW4 que estava na frente dele. O rapaz de 28 anos então teria freado, momento em que o condutor do Gol deu seta e ultrapassou pela direita.

Neste momento, Edson que estava no banco do passageiro da SW4 teria apontado a pistola para o motorista do Gol. Os envolvidos desceram dos carros, quando teriam começado as ameaças por parte de Salinas para o outro motorista. “Você não me conhece, eu vou te matar, você não sabe com quem está mexendo”, teria dito.

Viaturas da Derf e Garras que faziam rondas pela região foram abordadas pelo condutor do Gol e acabaram prendendo os três envolvidos em flagrante. Além das armas de fogo, foram apreendidos R$ 20 mil em reais, dólares e guaranis que estavam na SW4. Já na delegacia, foi esclarecido quem seria Edson. (Com informações de Renata Portela)

Apontado como líder do PCC pode ir a presídio federal após prisão em MS
Mais notícias