Antes de ser morto, Lanzarini cobrou funcionário de fazenda por atraso no plantio

Autor dos disparos é conhecido como Luiz 'Paraguaio' e usou trator para fugir. Polícia tenta evitar que ele cruze para o lado paraguaio da fronteira

Identificado como Luiz ‘Paraguaio’, o funcionário que matou o ex-prefeito de Amambai, Dirceu Lanzarini, teria sido cobrado pelo patrão por atrasar o plantio na fazenda em que trabalhava há cerca de 10 anos. A informação é do chefe da Sejusp (Secretário de Estado de Justiça e Segurança Pública, Antonio Carlos Videira.

Ainda segundo o secretário, o funcionário fugiu em um trator, abandonado às margens do rio Amambaí. As buscar por ele prosseguem no município e a intenção é impedir que ele fuja para o lado paraguaio da fronteira.

“O homem trabalha com ele há dez anos, mas, conforme o relato do genro, não gostou de ser cobrado pelo atraso em um plantio e reagiu, sacando o revólver e disparando contra os dois”, comenta o chefe da Sejusp.

Ao todo, o autor do crime atingiu Lanzarini com três tiros, um deles na cabeça – e que causou perda de massa encefálica. Equipes do DOF (Departamento de Operações de Fronteira), além de policiais de outros destacamentos das polícias Militar e Civil, participam do cerco ao autor em uma região de mata.

Já o genro de Lanzarini, Kesley Aparecido Vieira Matricardi, foi atingido por dois disparos, um no braço e outro no pescoço, de raspão. Foi ele quem fez o primeiro socorro ao sogro. Ambos foram levados para o Hospital do Coração de Dourados.

Porém, o ex-prefeito sofreu uma parada cardiorrespiratória ao chegar no hospital. A equipe médica tentou reanima-lo por uma hora, mas não obteve êxito. Kesley permanece no Hospital do Coração e não corre risco de morte.

(com informações da Estadão Conteúdo)

Antes de ser morto, Lanzarini cobrou funcionário de fazenda por atraso no plantio
Mais notícias