Agentes que estavam em presídio quando 75 membros do PCC fugiram são detidos

Aproximadamente 28 pessoas foram detidas e são investigadas

Após a fuga em massa de integrantes do PCC (Primeiro Comando da Capital) do Presídio de Pedro Juan Caballero, aproximadamente 28 agentes foram detidos e serão investigados por participação ação. Membros da diretoria da unidade foram demitidos ainda na manhã deste domingo (19) e também são investigados.

As primeiras informações do site local ABC Color dão conta que a declaração sobre a detenção dos agentes foi dada pela promotora Reinalda Palacios. Todos os guardas e carcereiros que estavam no turno durante a fuga estão detidos. Segundo ela, eles foram encaminhados para a sede de investigações para prestarem depoimento.

O diretor do presídio Christian González e os chefes das guardas já teriam sido ouvidos e estariam presos. Não é descartada possibilidade de que outras pessoas estejam envolvidas, até mesmo pessoas de fora do presídio. A promotora também declarou que desde as 6 horas deste domingo são feitos trabalhos no presídio.

Em meio ao cenário conturbado de segurança pública na região de Pedro Juan, comandada pelo PCC, a ministra da Justiça Cecilia Pérez teria apresentado a renúncia para o presidente Mario Abdo Benítez, que não aceitou o pedido.

Mais notícias