Advogado que estuprava adolescentes foi alvo de investigação por falsificar CNHs

Em 2013, chegou a ser preso durante operação nacional do Ministério Público

O advogado preso na terça-feira (24) em Anastácio, a 134 quilômetros de Campo Grande, pelo estupro de três adolescentes de 11, 12 e 15 anos, foi alvo da Operação Nacional Contra a deflagrada em 2013 pelo Ministério Público, para combater organização criminosa especializada na falsificação de carteiras de habilitação. Na ocasião, ele foi um dos presos.

A ação teve mandados de busca em Anastácio, Aquidauana, Nioaque, Sidrolândia e Jateí. As investigações tiveram início em outubro de 2012, a partir da descoberta do grupo que, além das s, também falsificava certificados de cursos de transporte de cargas perigosas, transporte de passageiros e coletivos. Cada era vendida de R$ 1,5 mil a R$ 3 mil. Os investigados eram ligados a autoescolas e centros de formação de condutores.

 

Conforme já noticiado, o advogado vinha sendo investigado há seis meses e foi preso na terça-feira, após ser flagrado com as adolescentes no carro. Eles estavam consumindo bebidas alcoólicas e no veículo foi encontrado camisinhas e medicamentos que seriam estimulantes sexuais. A polícia tinha informações de que o homem abusava das vítimas em motéis de Anastácio, com consentimento de familiares.

Advogado que estuprava adolescentes foi alvo de investigação por falsificar CNHs
Mais notícias