‘A maior da última década’, diz Sejusp-MS sobre fuga de 75 presos do PCC

Se capturados, presos serão levados para presídios estaduais, disse secretario

Para o secretário da Sejusp-MS (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública), Antônio Carlos Videira, a fuga dos 75 integrantes do PCC do presídio de Pedro Juan Caballero é “a maior fuga da última década”. A declaração foi feita em entrevista coletiva na tarde deste domingo (19), na sede da secretaria.

“É uma fuga extremamente grande, a maior que temos notícia da última década, um número expressivo de presos e a grande maioria brasileiros. Todavia, as circunstâncias de como ocorreram, nós não vamos nos manifestar”, disse Videira.

O secretário explicou que está sendo feito um levantamento sobre a possibilidade de existir mandatos de prisão contra os brasileiros que faziam parte da fuga do presídio paraguaio. Tal fato entraria também em questão, já que poderiam ser realizadas duas ações na captura dos foragidos.

O Ministro da Justiça, Sergio Moro se manifestou em sua rede social declarando que forças nacionais de segurança estão trabalhando em conjunto com as forças estaduais para impedirem a reentrada de criminosos no solo brasileiro. O ministro destacou que se capturados, eles iriam para presídios federais como “passagem só de ida”.

Tal repercussão foi debatida por Videira, que afirmou que existe a possibilidade, mas que afirmou que pretende entregar os brasileiros inicialmente aos presídios estaduais e se necessário, encaminhá-los aos presídios federais.

Túnel que teria sido utilizado na fuga (Foto: Via WhatsApp)

“A situação do ingresso no presídio federal dependendo da situação não é descartada, todavia aqueles que tiverem mandatos de prisão, por exemplo, no Paraná, São Paulo, Goiás ou mesmo no Mato Grosso do Sul, no primeiro momento serão recolhidos em presídios estaduais e posteriormente havendo a necessidade, obedecendo as regras para o ingresso em presídios federais, nada é descartado”.

Aviso antigo

O secretário da Sejusp esclareceu que já havia sido alertado da possibilidade de fuga dos presos brasileiros e que recentemente foi feito um reforço extra de equipes do DOF (Departamento de Operações de Fronteira) e da PMR (Polícia Militar Rodoviária).

Reforço policial

Com mais de 200 agentes das forças de segurança na fronteira, há suspeita de que os fugitivos possam ter evadido para os estados de origem. Logo após a fuga, comunicada para a Sejusp-MS (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública de Mato Grosso do Sul) ainda na madrugada deste domingo, equipes policiais foram enviadas para a região de fronteira, principalmente entre Ponta Porã e Pedro Juan Caballero.

Fuga

A fuga foi anunciada por volta das 5 horas desta madrugada. A princípio 75 detentos, membros do PCC, teriam fugido através de um túnel escavado de dentro da unidade até o lado de fora. Mais de 70 metros escavados, mais de 200 sacos de areia deixados em uma das celas da penitenciária e o fator mais questionado foi se nenhum agente penitenciário viu a fuga ou mesmo a escavação ou sequer suspeitou.

Mais notícias