Vídeos de adolescentes chamadas de ‘marmitas’ circulam nas redes e pais procuram delegacia

Fato gerou indignação por parte das famílias, que procuraram a delegacia

Vídeos de cerca de 20 meninas menores de idade, moradoras de Bandeirantes, circularam nos últimos dias na cidade, com a intitulação “as marmitas de Bandeirantes”. As vítimas têm de 14 a 18 anos.

O fato gerou indignação por parte das famílias, que procuraram a delegacia nesta quarta-feira (9). Os vídeos não são íntimos, de acordo com uma das mães, que preferiu não se identificar. São imagens em que elas publicam normalmente nas redes sociais, mas que estão sendo usadas com outro intuito.

Os suspeitos, de acordo com outra mãe, querem difamar as meninas. “Estão chamando nossas filhas de comida, espalhando e compartilhando isso nas redes sociais”, relatou.

As vítimas afirmaram que quem estaria espalhando as imagens com essa intitulação seria um adolescente de 14 anos. Ele já foi ouvido na delegacia de polícia, onde afirmou que não começou a espalhar as fotos, apenas teria compartilhado de outra publicação.

“Estas publicações estão virando modinha em Mato Grosso do Sul e então nós mães vamos nos unir para fazer uma campanha de conscientização, porque é crime”, afirma.

Até agora, sete vítimas registraram boletim de ocorrência, mas de acordo com as mães, vídeos de cerca de 20 meninas da cidade estão circulando em grupos de WhatsApp e em stories de redes sociais.

Para o Jornal Midiamax, a polícia informou que o caso foi registrado como difamação e será investigado. Não foram divulgados mais detalhes.

Atualmente, tem sido frequente crimes contra a honra pela internet. A difamação, consta no artigo 139 do Código Penal, com pena de três meses a um ano de detenção e multa.

Mais notícias