Vereadora suspeita de liderar facção criminosa em MS deixa presídio após 6 meses

Decisão foi tomada pelo juiz na quinta-feira

Marisa Rocha, ex-vereadora em Três Lagoas, cidade a 338 quilômetros da Capital, deixou o Presídio Feminino e aguardará em liberdade ao julgamento por organização criminosa e tráfico de arma e drogas. A determinação foi feita após audiência de instrução na manhã de quinta-feira (5).

Na manhã de quinta-feira, Marisa foi ouvida em audiência de instrução e o juiz de Direito da 2ª Vara Criminal Vinícius Pedrosa Santos decidiu por revogar a prisão preventiva da ex-vereadora, que responderá em liberdade. Marisa Rocha ficou presa desde 6 de março deste ano.

Conforme o site Rádio Caçula, ela está proibida de deixar a cidade, a menos que tenha autorização judicial ou por motivos de trabalho, e deverá se recolher no período noturno e dias de folga. Ela também deve se apresentar em juízo sempre que intimada.

Operação Themis

A operação deflagrada pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), denunciou a vereadora supostamente por chefiar o PCC (Primeiro Comando da Capital) em Três Lagoas e, através desta liderança na organização, ter envolvimento com os crimes de tráfico de drogas e armas.

Ela teve a prisão preventiva decretada e tentou habeas corpus e medidas cautelares mais brandas, na tentativa de responder em liberdade às acusações, porém os pedidos impetrados foram negados por duas vezes pelos desembargadores do Tribunal de Justiça do Mato Grosso do Sul.

Nesta sexta-feira, Marisa completaria seis meses de prisão. Os crimes pelos quais ela foi indiciada são organização criminosa, coação durante tramitação do processo, violação de sigilo e associação ao tráfico.

Mais notícias