Trocas de mensagens e ciúmes podem ter provocado morte de PM por colega de farda

Boletim de Ocorrência indica que briga por relacionamento com uma mulher foi pivô da briga

A morte do policial militar ambiental Jurandir Miranda, após levar um tiro disparado pelo colega de farda Izaque Leon, soldado da PMMS, pode estar relacionada com ciúmes.

De acordo com o registrado no Boletim de Ocorrência, o cabo da PMA (Polícia Militar Ambiental) estaria supostamente se relacionando com a ex-mulher de Izaque. Os desentendimentos teriam ainda relação com supostas mensagens enviadas por Jurandir para a mulher com quem Leon teria se relacionado.

A briga entre os dois policiais é antiga, e já tinha provocado até auditoria militar com os dois sendo punidos por desentendimentos.

Na noite desta quinta-feira (24), Izaque estava em uma lanchonete em Aquidauana, a 130 quilômetros de Campo Grande, quando Jurandir, segundo os registros policiais, teria chegado em uma motocicleta. Ele teria feito movimentos bruscos e, sem descer, foi alvejado pelo soldado.

Foram seis tiros, e um atingiu a artéria femural de Jurandir, que morreu no hospital. O policial ambiental caiu no chão, e outro policial militar que passava pelo local no momento do crime teria separado a briga. Leon fugiu do local do crime. (Editado às 8h33)

Mais notícias