Trio é preso tentando comprar moto com documentos de major morto em Bonito

Estavam tentando comprar moto de R$ 16 mil

Três foram presos na noite desta terça-feira (23) tentando comprar uma motocicleta, em Campo Grande, com documentos falsificados do major do Exército, Paulo Setterval, assassinado a facadas em Bonito – a 300 quilômetros de Campo Grande.

Foram presos Ezio Miranda Fernandes de 52 anos, Jallyson Braga da Silva de 30 anos, e seu irmão Wallyson Braga da Silva vde 33 anos. O plano foi descoberto quando na tarde de terça (23), Ezio foi até uma loja de motocicletas com documentos falsos tentando comprar uma moto no valor de R$ 16.832.

O vendedor da loja ao pegar os documentos para fazer a venda desconfiou do nome no documento, Paulo Setterval, já que teria lido em jornais sobre a morte do major do Exército, em Bonito. O funcionário chamou a polícia e quando Ezio assinava a papelada da compra da moto recebeu voz de prisão de equipes do GOI (Grupo de Operação e Investigação), sendo levado para a delegacia.

Ele foi levado para a delegacia e lá contou que havia comprado os documentos de uma pessoa, que morava no Jardim Los Angeles, e que teria sido indicado a ele Jallyson Braga para receber os produtos comprados com a documentação falsa.

Em uma loja de eletrodomésticos, Ezio comprou três televisões sendo duas delas de 50 polegadas dando como entrada R$ 1.200 em dinheiro e o restante usando o documento falso em nome do major do Exército. As televisões foram entregues a ‘Jaja’, que tinha uma loja de motos, no bairro Universitário.

A polícia foi até o local e Jallyson tentou fugir pelos fundos da casa. Um revólver foi encontrado na casa de ‘Jaja’, e apenas uma das televisões estavam com ele, já a outra ele disse ter dado ao ser irmão Wallyson que teria dado a entrada em dinheiro para a compra na loja. Na delegacia, Jallyson contou que lucrava coma venda dos produtos e que tinha tentando fazer a compra na loja, mas seu crédito não havia sido aprovado.

Sobre a pessoa que vendeu a documentação falsa nenhum dos três soube dizer quem era. Eles foram autuados por associação criminosa, uso de documento falso e porte ilegal de arma de fogo.

Morte major

Paulo Settervall estava reunido com amigos da turma de formatura de Salvador (BA), que vieram conhecer o Pantanal sul-mato-grossense. Ele foi assassinado em frente a um hotel no Centro da cidade, quando desceu do quarto para fumar cigarro.

Paulo foi um dos militares de carreira que ajudaram a implantação do Colégio Militar da Capital, onde trabalhou até se aposentar. Saindo de lá, não se afastou das salas de aula e estava lecionando no Bionatus, uma escola particular de Campo Grande. Por nota no Facebook, a escola, que está em recesso, prestou pesar aos familiares pela morte trágica do professor.

 

Mais notícias