Trilha de sangue em escada revela autor de homicídio em condomínio

Homem negou o crime apesar das evidências

Identificado como Adriano Inácio da Silva, de 39 anos, o homem que teria sido morto com pedradas na cabeça na manhã deste sábado (12) em Três Lagoas, a 338 quilômetros da Capital. Um casal foi preso em flagrante pelo crime, mas não confessou.

Polícia Militar e Polícia Civil estiveram no local onde o corpo do homem foi encontrado, no Condomínio Residencial Novo Oeste. Foi constatado que se tratava de homicídio e testemunhas revelaram quem seria o autor do crime, Willian Ferraz, de 21 anos, que já tem várias passagens pela polícia por outros crimes.

As equipes iniciaram investigação e encaminharam o rapaz e a namorada de 28 anos para a delegacia. Foi feita perícia no local do crime e os indícios apontavam que o homicídio teria ocorrido no apartamento do casal, morador naquele condomínio. Conforme a polícia havia marcas de luta corporal e objetos sujos de sangue na casa.

Além disso também foram encontradas marcas como se tivessem tentado limpar manchas de sangue do apartamento. O casal negou o crime, mas testemunhas disseram que houve uma discussão entre Willian e Adriano e que a vítima foi assassinada com golpes de blocos de concreto, que foram recolhidos pela Perícia.

Houve luta corporal entre os dois e a vítima ainda caiu pela escada do condomínio, que ficou com uma trilha de sangue segundo a polícia. O caso é tratado como homicídio qualificado por meio cruel e a princípio o casal foi preso em flagrante pelo crime.

Mais notícias