Testemunha que teria presenciado execução de adolescente é ameaçada na fronteira

Sede da Divisão de Investigações Criminais de Casos Puníveis, onde se encontrava a testemunha, teve reforço policial

Testemunha chave que teria presenciado a execução violenta do estudante brasileiro Alex Zioli Areco Aquino, 14 anos, estaria recebendo ameaças de morte de suspeitos pela morte do adolescente. Genaro Lopes Martins, Diana Clavel Pimentel e o adolescente de 15 anos, foram encaminhados na tarde de sábado (7), por ordem do juiz Martin Areco, à Penitenciaria Regional de Pedro Juan Caballero.

Conforme informações do site Porã News, sede da Divisão de Investigações Criminais de Casos Puníveis, onde se encontrava a testemunha, teve reforço policial após a testemunha ter recebido uma ameaça para que ficasse calada ou mudasse a sua versão sobre os fatos.

Segundo os investigadores a mesma teria presenciado a ação do grupo que teria executado o adolescente e teria decidido colaborar com as autoridades brasileiras e posteriormente com as autoridades paraguaias, até o momento chefes da Policia Nacional do Paraguai em Pedro Juan Caballero não confirmaram a ameaça contra a testemunha, situação que deve ser confirmada durante uma coletiva a imprensa marcada para esta segunda-feira (9), na data também deve ser esclarecido como os suspeitos chegaram até a identificação da testemunha.

Ainda conforme informações do Porã News, Alex foi executado a mando do brasileiro Genaro Lopes Martins, conhecido como ‘Animal do PCC’, depois de brigar com um cunhado do criminoso no banheiro da escola em que estudava, na cidade de Pedro Juan Caballero. Após ser torturado por várias horas, o adolescente foi forçado a cavar a própria cova e morto com um tiro na cabeça. Todos os detalhes do crime foram encontrados nos celulares dos suspeitos presos.

O estudante foi “julgado”, torturado e executado pelo suspeito sem autorização da facção criminosa da qual seria integrante.

Animal do PCC, também estaria segundo o site Porã News envolvido no desaparecimento do vendedor de joias Roney Fernandes Romeiro (35), que na manhã do dia 18 de agosto deste ano caminhava pela Avenida Presidente Vargas em um veículo da marca VW-Gol, branco quando foi raptado por vários homens armados que estavam com uma caminhonete.

Até o momento o corpo de Roney não foi encontrado, a polícia trabalha agora que Genaro tenha sido um dos autores do crime. Os dois casos são investigados por policiais do Brasil e do Paraguai.

Alex Zioli Areco Aquino, 14 anos, foi raptado, torturado e morto na madrugada do último dia 23 de novembro na cidade paraguaia de Pedro Juan Caballero, o corpo foi encontrado em um galão no último dia 05 nas proximidades do Rodoanel em Ponta Porã.

 

Colaborou Antonio Coca

Mais notícias