Testemunha de cabeleireira que matou em briga de trânsito é presa em flagrante por mentir

Foi detida no Fórum e levada para a delegacia

Durante o julgamento de Joice Espíndola da Silva, condenada nesta quarta-feira (21) pelo homicídio de Camilo de Freitas, uma testemunha de defesa foi presa em flagrante. Tatiana Barroso Amede teria praticado o crime de falso testemunho e saiu presa do Fórum de Três Lagoas, cidade a 338 quilômetros da Capital.

Conforme a Polícia Civil, durante o depoimento de defesa, Tatiana teria praticado falso testemunho e foi dada voz de prisão em flagrante pelo Conselho de Sentença. Ela foi encaminhada para a Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do município com a ata expedida pelo juiz de Direito Rodrigo Pedrini.

O teor do depoimento de Tatiana não foi divulgado pela polícia. Tatiana já responde a processo por tráfico de drogas, crime que praticava com a prima, a vereadora Marisa Rocha, segundo investigações do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) do MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul).

Em conversas telefônicas interceptadas pela polícia, Tatiana mencionava que a vereadora era conhecida como ‘defensora dos bandidos’ por conta do apoio dado a criminosos. Ela e comparsas teriam apontado Marisa como responsável por financiar armamento e tráfico em Três Lagoas.

Briga e homicídio

O julgamento de Joice aconteceu 1 ano e 3 meses após a morte de Camilo. No dia 20 de maio Camilo e a esposa discutiam na rua quando Joice, que estava em uma camionete, desceu do veículo para defender a vítima. Ela e o filho teriam brigado com Camilo, quando ela buscou uma faca no carro e esfaqueou o rapaz, que morreu no local.

Ela foi condenada a 7 anos de prisão e poderá cumprir a pena inicialmente em regime semiaberto, com uso de tornozeleira eletrônica.

Mais notícias