Suspeitos de matarem pai e filho em briga por causa de lixo no Caiobá são ouvidos

Um dos irmãos teria tentado liberdade alegando problemas de saúde e idade avançada

Acontece nesta segunda-feira (19), a primeira audiência sobre a morte de pai e filho no Jardim Caiobá, em Campo Grande, em fevereiro deste ano. Carlos Mendes e Bruno Pierre, pai e filho respectivamente, foram assassinados a tiros depois de uma briga por causa de fogo em um lixo.

Os irmãos Ângelo Demisque Siqueira, de 61 anos, e Nestor Demisque Siqueira foram presos dias depois dos assassinatos. Ângelo foi encontrado em Sidrolândia e teria inocentado o irmão da participação no crime afirmando que teria agido sozinho. No dia do crime, teria efetuado os tiros contra pai e filho depois de ser insultado, após uma briga por causa de um fogo em um amontoado de lixo.

Nesta primeira audiência serão ouvidas testemunhas e os acusados. Ainda não foi decidido se os irmãos irão a júri popular.

Fogo no lixo

O fogo em um amontado de lixo, no Portal Caiobá, seria o motivo para o assassinato de pai e filho. Carlos foi atingido por quatro disparos sendo um no pescoço, clavícula, costas e um tiro na testa. Antes do tiro na testa de Carlos, o homem teria dito “Você ainda não morreu”, dando um tiro de ‘confere’.

Já Bruno foi assassinado com três tiros, sendo dois na coxa e um no pescoço. 11 munições intactas foram encontradas no local. Testemunhas e vizinhos informaram que pai e filho eram pessoas trabalhadoras.

Reconstituição

Aproximadamente 40 policiais participaram de uma reprodução simulada no dia 11 de julho, que teve cinco horas de duração para esclarecer  os assassinatos de pai e filho, Bruno Pierre Figueiredo de 22 anos, e Carlos Mendes Figueiredo, de 42 anos, no Portal Caoibá, em fevereiro deste ano.

O inquérito sobre os crimes já havia sido encerrado, mas a defesa dos acusados pediu a Justiça uma reprodução simulada do caso para esclarecimentos. Os dois acusados pelo duplo assassinato participaram, assim como, policiais da Denar, da 5º delegacia de polícia, guarda municipal, 4º DP, GOI e 6º delegacia de polícia.

 

Mais notícias