Suspeito de matar major é denunciado por homicídio duplamente qualificado

O crime aconteceu em frente a um hotel de Bonito, por causa um cigarro

O Ministério Público Estadual de Mato Grosso do Sul denunciou o pintor Bruno da Rocha, de 31 anos, preso preventivamente pelo assassinato do professor aposentado e major aposentado do Exército Brasileiro Paulo Setterval, de 57 anos. O crime aconteceu em frente a um hotel de Bonito, a 297 quilômetros de Campo Grande, no dia 14 de abril. O suspeito responde por homicídio qualificado por motivo torpe e por meio que dificultou defesa da vítima.

De acordo com o Inquérito Policial, na data dos fatos, Paulo estava a passeio com familiares e amigos de formatura da Bahia, quando por volta das 21h50min desceu para fumar na calçada em frente ao hotel onde estava hospedado. Bruno, que trafegava em uma bicicleta, deparou-se com a vítima e pediu-lhe um cigarro, porém não foi atendido.

Logo em seguida, já sem a bicicleta, ele retornou de maneira e de forma surpreendente, abordou a vítima pelas costas. Ao se virar, Paulo foi golpeado no tórax e caiu, morrendo no local.  Segundo delegado Gustavo Henriques, responsável pelo inquérito, o assassino relatou em depoimento que teria sido chamado de ‘trombadinha’. Na versão de Bruno, após a conversa com a vítima, ele pegou a bicicleta  e saiu, mas voltou alguns segundos depois e disse: “aqui está o trombadinha”.

Depois de cometer o crime, o pintor foi para a casa e queimou as roupas que havia usado. Na sequência, se escondeu em outro imóvel e tentava contactar familiares a fim de conseguir algum dinheiro para fugir, no entanto, foi localizado pelos policiais depois de 30 horas de cerco. O pintor tem passagens por tráfico de drogas, ameaça e desacato.

Mais notícias