Suposto jornalista preso por extorquir prefeito queria assessoria e salário de R$ 2 mil

Ameaçou revelar ‘matérias bombásticas’ para os inimigos políticos do prefeito

Durante a audiência de custódia nesta quarta-feira (26) de Danyhaun Dutra Rosário, de 32 anos, conhecido como Dener, preso por equipes da Derf (Delegacia Especializada em Roubos e Furtos) por tentar extorquir o prefeito de Tacuru, Carlos Alberto Pelegrine (MDB) falou que teria tentado um cargo de assessor, mas sem sucesso, na prefeitura da cidade.

Dener, que foi preso nesta terça-feira (25), contou que havia pedido ao prefeito Carlos Alberto ovalor de R$ 30 mil para não revelar ‘matérias bombásticas’ contra ele aos seus adversários políticos, mas teve o pedido negado. Sendo que depois ele tentou um cargo na assessoria da prefeitura, com um salário de R$ 2 mil.

Como não conseguiu nem a assessoria e nem o valor de R$ 30mil, Dener passou a chantagear o prefeito. Ele disse que ainda teria oferecido a uma vereadora da cidade, o vídeo do prefeito com travestis, mas ele não quis.

O suposto jornalista foi preso com o motorista do jornal, em Campo Grande. O vídeo do prefeito Carlos Alberto foi feito em dezembro de 2018, na cidade de Dourados.

Na delegacia a dupla confessou não ter informações que pudessem prejudicar o prefeito Carlos Alberto. Um celular foi apreendido e nada foi encontrado. Eles confessaram ao delegado que não tinham informações e que tudo não passou de chantagem para obtenção de vantagens políticas.

O crime de extorsão tem pena de 4 a 10 anos de reclusão e está previsto no artigo 158 do código penal.

Mais notícias