Mais uma: Nando é condenado a 18 anos de prisão por outra morte no Noroeste

Nando negou as acusações

Luiz Alves Martins Filho, o Nando, foi condenado após julgamento realizado nesta quarta-feira (20) a 18 anos e três meses de prisão em regime fechado pela morte da adolescente Jenifer Luana Lopes, que foi assassinada em março de 2016.

Pelo crime de homicídio qualificado a pena estipulada foi de 17 anos de prisão, já pela ocultação do cadáver a sentença foi de 1 ano e três meses de reclusão. O julgamento foi conduzido pelo juiz Aluízio Pereira dos Santos, da 2ª Vara do Tribunal do Júri da Capital.

Michel Henrique Vilela Vieira, apontado como comparsa de Nando, foi condenado a 10 anos e 10 meses pelo homicídio de Jenifer. Ele foi absolvido do crime de ocultação de cadáver.

No caso de Michel, a Justiça entendeu que ele teve menor importância no homicídio e recebeu uma pena menor que a de Nando. Ele continuará preso.

Nando não participou por videoconferência do julgamento, na tarde desta quarta. O réu chegou a pedir um calmante pela manhã e disse estar ficando louco dentro do presídio. Em depoimento ele se declarou inocente de todas as acusações feitas contra ele e afirmou que confessado todos os 16 assassinatos pelos quais responde depois de ser torturado por policiais.

O assassino disse que conhecia a vítima do bairro por saber que ela era autora de vários furtos na região e também por que usava drogas. Segundo ele, Vasco seria o responsável pela morte da menor de idade – Nando teve um relacionamento amoroso com ele.

Michel Henrique Vilela Vieira preferiu ficar em silêncio e não respondeu a nenhuma das perguntas feitas tanto pelo juiz como pela própria defesa.

Nando já teria acumulado penas que chegam a quase 70 anos de prisão, sendo 63 anos só pelos crimes de homicídio e ocultação de cadáver.

Mais uma: Nando é condenado a 18 anos de prisão por outra morte no Noroeste
Mais notícias