Professor suspeito de assédio foi afastado por 30 dias e prazo pode ser prorrogado

Por meio de nota, a SED/MS (Secretaria de Estado de Educação de Mato Grosso do Sul) informou que o professor investigado por assédio sexual em uma escola estadual de Campo Grande foi afastado preventivamente por 30 dias, a partir de 29 de julho, durante a tramitação do processo. O afastado pode ser prolongado por até 90 dias, caso haja necessidade.

O educador é suspeito de assediar alunas e até mesmo uma funcionária da escola. O afastamento ocorreu depois que uma das vítimas pediu medidas protetivas contra o suspeito, para que ele não se aproxime. O inquérito foi instaurado há aproximadamente quatro meses, mas mesmo assim o professor continuava no exercício das funções. 

Segundo apurado, os assédios eram constantes e contra vários alunos, tanto meninos quanto meninas. O caso passou a ser investigado pela Depca (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente) e foi pedido mais prazo, já que se trata de crime delicado e com várias vítimas.

Mais notícias