Preso jovem que mantinha ‘escritório’ de falsificação de RGs em residência de Campo Grande

Polícia localizou documentos falsos, copiadora e até contas de água em branco

Um rapaz de 28 anos foi preso no final da tarde desta sexta-feira (18) acusado de falsificar documentos de RG (Registro Geral) em uma residência localizada no bairro Rita Vieira, em Campo Grande. No local, além de documentos falsos a polícia aprendeu computador, máquina copiadora e vários equipamentos que o rapaz utilizava para falsificação.

De acordo com as informações do boletim de ocorrência, a Polícia Militar realizava rondas na região quando localizou o rapaz, que estava aparentemente nervoso. Os policiais o revistaram, mas nada foi localizado. Como o suspeito continuou nervoso, foi checado um RG que ele tinha no bolso no nome de uma mulher, que relatou ser uma amiga. No entanto, o rapaz não sabia dizer corretamente o nome que estava no documento.

Após a checagem pelo número do RG, foi verificada divergência nos nomes. A polícia então fez contato com uma mulher que constava como a verdadeira portadora da número da identidade, quando ela relatou que estava com o documento em mãos. Em mais uma checagem, os policiais descobriram que o suspeito já tinha passagens por estelionato e questionado se havia voltado a praticar o crime, ele afirmou que sim e levou os policiais até a casa onde mantinha seu ‘escritório’ da falsificação.

Na casa no bairro Rita Vieira, foram localizados ao lado da cabeceira de uma cama, 13 munições calibre 9mm, três munições calibre .38 e um carregador de pistola calibre 9mm. Também foram apreendidos computador, copiadora Epson, oito cédulas de identidade já falsificadas e outras cédulas não estavam com os nomes legíveis, de acordo com a polícia.

Dos petrechos para realizar a falsificação a polícia localizou acetona, cotonete, etiqueta transparente e papel carta. Ainda foi apreendido um pendrive, um celular de propriedade do autor, cartões de loja de departamento, fotos 3×4 de várias pessoas, contratos e nota fiscal.

A PM apreendeu duas contas de água que estavam em branco, onde, conforme o suspeito, seria inserido nomes de terceiros. O suspeito removia com cotonete o nome do verdadeiro dono da conta, para inserir novos dados.

Ele foi preso pelos crimes de posse ilegal de arma de fogo de uso restrito e permitido, também por falsificação de documentos. O suspeito foi levado para a Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Piratininga.

Mais notícias