Publicidade

Preso com 75 quilos de dinamite diz que receberia R$ 40 mil do PCC

Explosivos seriam usados para assaltos a bancos

Emílio Ortega Arevalo de 27 anos, preso neste fim de semana em Pedro Juan Caballero, na fronteira com Ponta Porã – a 346 quilômetros de Campo Grande, com 75 quilos de dinamite receberia dinheiro da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital) para a entrega do material.

O paraguaio receberia o valor de R$ 40 mil da facção que havia encomendado os explosivos para assaltos a banco e casas de câmbio, na fronteira. Emílio foi preso pelo serviço de inteligência da polícia paraguaia quando descia de um ônibus.

Segundo o site ABC Color, a entrega da dinamite para a facção criminosa foi descoberta através de interceptações telefônicas que a polícia conseguiu. A dinamite estava em três caixas de papelões. Para a polícia, Emílio disse que teria pegado a carga com outros homens, mas não soube dizer nomes.

No dia 5 de abril, uma agência bancária em Coronel Sapucaia foi alvo de bandidos que usaram explosivos para arrombar um cofre. Os integrantes da quadrilha encurralaram a polícia fazendo vários disparos contra a delegacia.

Uma van da prefeitura de Dourados, que levava pacientes para o hospital foi atingida por vários tiros. Moradores da cidade ficaram assustados e vários áudios foram gravados, onde é possível ouvir os tiros feitos pela quadrilha, que fugiu em direção a Capitan Bado.

 

 

 

Mais notícias