Policial civil preso em ação contra cigarreiros é solto e pode voltar à profissão

Ele foi detido em setembro de 2018

O policial civil Gilvani da Silva Pereira, preso em 22 de setembro de 2018, recebeu alvará de soltura no último dia 3, quinta-feira, e poderá voltar a exercer a profissão. Foi divulgado no Diário Oficial de Mato Grosso do Sul a revogação da portaria que afastava compulsoriamente o oficial.

Conforme a publicação, o afastamento contou do dia 3 de outubro de 2018. Exato um ano depois, o policial foi solto e poderá voltar a exercer suas funções. Ele é lotado em Eldorado, município que fica na região de fronteira com o Paraguai e a 440 quilômetros de Campo Grande.

Gilvani foi preso e afastado do cargo durante a Operação Nepsis, da Polícia Federal. A ação aconteceu em outros quatro estados, São Paulo, Paraná, Rio de Janeiro e Alagoas. Entre os presos estariam líderes e ‘gerentes’ da organização criminosa, sendo eles policiais da PRF (Polícia Rodoviária Federal), Polícia Militar e Civil de MS.

A organização criminosa atuava como consórcio de grandes contrabandistas. Cargas de cigarro saíam do Paraguai pela fronteira de MS e seguiam para os outros estados. Só em 2017 pelo menos 1,2 mil carretas carregadas com cigarros teriam passado pela rota do contrabando, o que traduzido em reais seria algo em torno de R$ 1,5 bilhões.

Mais notícias