Polícia retira 42 espinhéis com 1,2 mil anzóis nos rios Apa e Paraguai em MS

Ação faz parte do combate à pesca predatória

A Polícia Militar Ambiental retirou entre a quarta-feira e esta quinta-feira (19) 42 espinhéis com 1.200 anzóis de galhos na foz do rio Apa com o rio Paraguai, na região do Nabileque. A ação faz parte de combate à pesca predatória praticada por brasileiros e paraguaios na fronteira.

Segundo nota, foram retirados dos rios 42 espinhéis com média de 30 anzóis cada, além de 67 anzóis de galho. Por meio de nota, a PMA informou que as equipes continuarão fiscalizando a área, na tentativa de coibir o uso de petrechos proibidos. 

“Durante os trabalhos até agora não foi encontrado nenhum pescador nos rios na região. Bloqueios também estão sendo executados nas rodovias e estradas vicinais próximas dos rios. Ressalta-se que a pesca também está fechada pela legislação do Paraguai”, diz a PMA em nota.

A polícia considera a região do rio Apa e do rio Paraguai crítica, porque pescadores paraguaios e brasileiros armam muitos petrechos ilegais nos rios, normalmente à noite, pela facilidade de fuga em território do país vizinho, caso sejam surpreendidos pela fiscalização. 

Nos dias 26 e 27 de outubro, quando a pesca estava aberta, oito espinhéis (cabos de aços e cordas com 30 anzóis grandes, estendidos pelo rio) com 30 anzóis cada um, que estavam armados no curso rio Apa, tinham sido retirados durante a Operação Pré-Piracema. Nos dias 28 e 30 do mesmo mês, foram apreendidos mais 50 espinhéis e mais 165 anzóis de galho nos rios Apa e Paraguai. Vários peixes que estavam vivos nos petrechos ilegais foram soltos no rio.

Mais notícias