Polícia não descarta que pintor passou mal e caiu sozinho de moto

Vítima foi encontrada morta na manhã desta segunda-feira, na MS-080

A Polícia Civil acredita que o pintor Jorge Luiz Moreira, de 62 anos, tenha morrido vítima de uma queda de moto ocorrida no sábado, no local onde o corpo dele foi encontrado na manhã desta segunda-feira, na rodovia MS-080, na saída de Campo Grande para Rochedo. No entanto, de acordo com o delegado Sérgio Luiz Duarte, ainda não é totalmente descartada participação de outro veículo.

A vítima estava em um local íngreme e com difícil visibilidade, por isso, levaram dois dias para encontrá-lo. De acordo com os dados colhidos pela perícia no local, é provável que ele tenha sofrido o acidente sozinho. Porém, o boletim de ocorrência foi registrado como morte a esclarecer e o corpo foi encaminhado ao Imol (Instituto de Medicina e Odontologia Legal).

O objetivo é realizar exame necroscópico para apurar a causa da morte. É possível que a vítima, por exemplo, tenha sofrido um mal súbito e perdido o controle do veículo, sofrendo a queda. Conforme noticiado, Jorge havia saído de casa na manhã de sábado, para fazer orçamento em uma fazenda na cidade de Terenos, onde prestava serviços ao proprietário.

Segundo boletim de ocorrência, a filha, de 35 anos, informou que o pai saiu de casa bem cedo, por volta das 05h20 do sábado, e não retornou mais. Como houve demora, a família telefonou para o motorista da fazenda, que confirmou que Luiz havia estado na propriedade onde fez o orçamento e foi embora às 09h30.

Como ele não costumava desaparecer e não tinha hábito de dormir fora de casa, os familiares iniciaram mobilização para tentar localizá-lo. Como não obtiveram sucesso, denunciaram o desaparecimento à Polícia Civil na manhã de domingo, na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do centro.

Nesta segunda-feira, um homem que transitava pela rodovia encontrou o corpo da vítima perto da moto e acionou a polícia. A perícia foi acionada e a suspeita é de que Luiz tenha se envolvido em acidente de trânsito. O achado foi pela 2ª Delegacia de Polícia Civil da Capital, mas o inquérito dever ser conduzido pela 7ª DP.

Mais notícias