Publicidade

Nota Zero: policiais federais deixam SED com malotes de documentos apreendidos

Investigação apura fraudes em licitações da secretaria

Funcionários da SED (Secretaria Estadual de Educação) foram proibidos inicialmente de entrar no prédio da secretaria, na manhã desta quarta-feira (8), durante a deflagração da Operação Nota Zero pela Polícia Federal. Tempo depois foram autorizados a entrar, mas apenas no piso inferior.

Policiais federais estavam no prédio e de lá saíram com malotes, sem falar com a imprensa. A procuradora geral do Estado, Fabíola Rahim Marquett, também chegou ao prédio da SED, onde são feitas buscas atrás de documentos.

Na manhã desta quarta (8), 12 mandados de busca e apreensão são cumpridos pelos policiais, como também por agentes da CGU (Controladoria Geral da União). A investigação apurou fraudes em contratos firmados pela SED e empresas de construção civil, com provas de crimes de corrução passiva e ativa, peculato e organização criminosa.

Foi descoberto a existência de um grupo de empresas previamente escolhidas para vencer as licitações. Foi constatado a prática ilícita envolvendo oito processos licitatórios abertos pela SED: uma Concorrência no valor de R$ 2.285.941,45 e outras sete Tomadas de Preços, que totalizam R$ 7.347.785,17.

 

 

 

Mais notícias