Polícia descarta vídeos de desafios em celular de menina que atirou na cabeça em MS

Uma das suspeitas era de que ela assistia a desafios suicidas, o que foi descartado pela polícia

A Polícia Civil de Mundo Novo não encontrou vídeos que teriam levado a menina de 11 anos a ter atirado contra a própria cabeça, no dia 17 de março deste ano. Uma das suspeitas era de que ela assistia a conteúdos de desafios suicidas, o que foi descartado pela polícia. O celular, assim como computador da menina passaram por vistoria após autorização judicial.

A delegada Allana Mariele informou que pediu mais prazo para a Justiça e finaliza o inquérito. “Não encontramos nenhum vídeo no celular que possa ter incentivado ela a cometer o ato. Concluímos que foi suicídio e estamos finalizando o inquérito policial”, revelou.

A delegada também relatou que em um caderno da menina, onde havia anotações, foi encontrada uma na qual ela se dizia triste. No entanto, a Polícia Civil não pode afirmar que a menina passava por depressão, já que durante depoimento de familiares e pessoas do convívio escolar, os relatos são de que ela sempre apresentou comportamento normal.

Durante depoimento, a mãe da garota, relatou que ela não enfrentava problemas em casa. A pedagoga da escola que a menina estudava desde 2011 também reafirmou que não havia mudança de comportamento. “Segundo os depoimentos, ela não apresentou mudança de comportamento, sempre foi uma menina tímida e quieta, com notas excelentes”, afirmou a delegada Allana Mariele.

O pai, policial militar, ficou em choque após o caso e ainda não foi ouvido pela polícia.

Caso

O caso aconteceu no dia 17 de março deste ano, na cidade de Mundo Novo, distante 463 km de Campo Grande. Os pais da criança estavam na cozinha e a filha assistindo vídeos no celular. Ela foi chamada pelos pais, mas não apareceu na cozinha, momento que ouviram o disparo. A menina foi encontrada caída no chão do quarto com a arma do militar ao lado do corpo.

A menina usou a arma particular do pai para fazer o disparo. Segundo a polícia, o armamento estava guardado em uma gaveta junto com a pistola funcional do policial, mas a gaveta não estava trancada.

A morte da menina coincidiu com rumores que circularam na internet sobre a veiculação de vídeos com desafios suicidas usando a figura da ‘boneca Momo’.

Mais notícias