Com mulheres em pânico e esfaqueador à solta, PM leva unidade móvel para Jardim Carioca

3 mulheres foram vítimas de ataques supostamente do mesmo 'maníaco', que estuprou uma e esfaqueou todas

Após três esfaqueamentos de mulheres, no Jardim Carioca, em Campo Grande entres os dias 29 de julho e o dia 19 de agosto, a Polícia Militar levou uma van para o bairro, na manhã desta quinta-feira (22) para ouvir a reivindicação dos moradores. Uma triagem está sendo feita pela polícia, que também está fazendo blitz na entrada do bairro.

As moradoras Luzinete Medeiros de 52 anos, e Jurema Ortega de 50 anos contaram ao Jornal Midiamax, que depois dos crimes o número de policiais no bairro aumentou, com motos, viaturas e até a Polícia Civil está na região. “Nem estamos mais saindo de casa por causa do medo”, disse Luzinete.

O que era comum e corriqueiro como ir à igreja, já não é mais possível depois que três mulheres foram esfaqueadas, “Não conseguimos nem mais a igreja’, disseram. As moradoras ainda contaram que antes nunca algo como isso – esfaqueamento de mulheres – tinha acontecido no bairro.

Jociane Dias da Silva, criou um grupo de mulheres no WhatsApp e disse que antes o bairro estava abandonado, e que a polícia não ia até o local, mesmo quando era chamada, “Estamos nos sentindo mais seguras, mas queremos que o policiamento continue mesmo depois de prenderem o maníaco”, relatou.

(Jociane espera que o policiamento continue, Marcos Ermínio)

Outra moradora contou que no último domingo (18), houve uma briga na rua dela durante a noite, e que a polícia foi chamada, mas demorou três horas para chegar. “O bairro já é conhecido por ser perigoso, queremos policiamento sempre”, falou Letícia Simei, de 30 anos.

‘Maníaco do Carioca’

No dia 29 de julho uma mulher de 31 anos foi atacada por um rapaz armado com uma faca em um matagal no bairro. Ela voltava para casa após levar o filho à escola quando foi surpreendida pelo criminoso. A vítima foi esfaqueada várias vezes, estuprada e ficou internada em estado grave na Santa Casa. Ela segue internada, agora consciente, e passou por cirurgias.

Já na manhã de segunda-feira (19) a idosa de 75 anos voltava para casa quando passou pela ponte e foi atacada por um rapaz, também armado com faca. Ele chegou a esfaquear a mulher no pescoço e ela fugiu correndo e pediu ajuda. O caso é investigado pela Derf (Delegacia Especializada de Repressão a Roubos e Furtos) como roubo na forma tentada seguida de lesão grave.

Uma mulher de 53 anos prestou depoimento à polícia na manhã desta terça-feira (20), após ter sido vítima de assalto na região do Jardim Carioca momentos antes da idosa de 75 anos ser esfaqueada. A vítima contou ao Jornal Midiamax que o assalto aconteceu aproximadamente 10 minutos antes da idosa de 75 anos ser esfaqueada na região da ponte aos fundos do Jardim Carioca. Ela disse que estava sozinha em casa, descascando milho, quando o rapaz entrou pela porta da frente armado com uma faca.

Segundo a vítima, ele estava muito tranquilo e não aparentava ter usado drogas ou álcool. Ele mandou ela ficar em silêncio, colocou a faca no pescoço da vítima e anunciou o assalto. O assaltante levou uma carteira de cigarros e aproximadamente R$ 30.

Mais notícias