Negada anulação de julgamento do homem que espancou advogado até a morte

Fernando Nogueira Thomé, condenado a 16 anos de prisão pela morte do vizinho, o advogado e estudante de pós-graduações Gilmar de Assis, de 68 anos, teve o pedido de anulação do julgamento negado, conforme decisão do desembargador do TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) Emerson Cafure, relator do processo.

O condenado recorreu alegando que a tese do júri foi contrária às provas dos autos. No entanto, o entendimento da justiça foi outro. “Portanto, se o Conselho de Sentença optou por uma das versões apresentadas, devidamente sustentada pelas provas coligidas, descabida é a pretensão de desconstituir o veredito”, afirmou o desembargador em seu relatório ao negar o pedido.

Fernando responde por homicídio qualificado por motivo fútil, meio cruel e recurso que dificultou a defesa da vítima. O crime ocorreu na manhã do dia 5 de dezembro de 2015, na Rua Ponto verde, Vila Maciel, região sul de Campo Grande. Vizinhos de Gilmar acionaram a polícia após verem o advogado sendo agredido por Fernando.

De acordo com as testemunhas, elas ouviram a discussão e, ao abrirem a porta que dá acesso ao corredor do condomínio, viram o idoso caído no chão e o agressor o chutando na cabeça. Quando os militares chegaram, Fernando estava na frente do condomínio, na companhia de um amigo. Ele já havia se limpado e também trocado de roupa e, ao ver a equipe policial tentou fugir, invadindo outros apartamentos. Além disso, ele chegou a agredir os policiais, resistindo à prisão.

Mais notícias