Namorada fazia pagamento a arrastadores presos a caminho a fronteira

Ação foi realizada pelo Garras ontem, em Anastácio

Arrastadores de veículos que tentavam chegar na fronteira com a Bolívia com dois carros roubados na Bahia foram presos nesta quarta-feira (15) em Anastácio, a 140 quilômetros de Campo Grande, pelo Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Roubo a Bancos, Assaltos e Sequestros). A namorada de um dos integrantes era a responsável pelo pagamento do grupo que já estava na estrada a vários dias com um Hyundai HB20s e um iX35.

Conforme apurado, uma equipe do Garras havia ido para Aquidauana fazer o recambiamento de preso, quando ao retornar para Campo Grande, se deparou com dois veículos suspeitos estacionados em uma borracharia na Avenida Manoel Murtinho, em Anastácio. Houve abordagem e os responsáveis pelos carros se apresentaram com nomes de Marcos Paulo Araújo de Jesus e Tales Cruz que estava com a namorada de 19 anos.

Um quarto indivíduo, identificado apenas como Júlio, também se apresentou e alegou que havia pegado carona apenas para consertar o pneu furado de seu carro. Durante verificação, os policiais não encontraram nada de irregular e os liberaram. No entanto, ao verificarem os sinais identificadores do chassi e número do motor do HB20s e do iX35, os investigadores constataram se tratar de produtos de roubo na Bahia. Por este motivo, os policiais voltaram para prendê-los.

Tales, a namorada e Paulo ainda estavam no local. Júlio já havia saído. Foi então que a equipe encontrou documentos nos automóveis e descobriu que as identidades apresentadas em nome de Tales e Paulo eram falsas. Na delegacia, os homens deram seus nomes verdadeiros e confessaram que estavam há dias na estrada e que estavam sendo pagos para entregar o veículo na fronteira. Eles disseram que namorada de Tales era quem recebia os valores e redistribuía.

Eles confessaram ainda que Júlio atuava como batedor. O Garras fez diligências na tentativa de localizá-lo, mas sem sucesso. Eles foram autuados em flagrante por receptação e uso de documento falso.

 

Mais notícias