MPF denúncia Marcelo Piloto pelo assassinato de jovem dentro de cadeia

Lídia Meza foi morta com 16 facadas em novembro de 2018

O MPF (Ministério Público Federal) apresentou denúncia contra o narcotraficante Marcelo Piloto, que foi expulso do Paraguai no dia 19 de novembro de 2018, depois do assassinato de Lídia Meza Burgos, de 18 anos, no grupo especializado da polícia onde Piloto estava preso, no Paraguai.

Piloto está preso na Penitenciária Federal de Catanduvas, no Paraná. A denúncia foi apresentada pelo Ministério Público Federal do Rio de Janeiro, para que o narcotraficante responda pelo assassinato da jovem, que foi morta com 16 facadas dentro da cadeia, em novembro de 2018.

Ela foi esfaqueada no pescoço, tórax, abdômen e nas costas causando hemorragia interna. Lídia chegou a ser socorrida depois de agentes ouvirem os gritos de socorro, mas ela não resistiu e morreu. O crime cometido por Piloto era uma forma de não ser extraditado para o Brasil.

A extradição de Marcelo tinha sido determinada em setembro de 2018, e para não cumprir pena no lado brasileiro, o narcotraficante cometeu o crime. Agora, a Justiça paraguaia espera extraditar a namorada do narcotraficante e dos membros do Comando Vermelho, após condenação pela tentativa de resgate de Piloto, que foi expulso do país em 19 de novembro de 2018.

Marisa de Souza Penna, noiva de Marcelo Piloto, Thiago Lucas Gonçalves, Juárez Italo Paiva Filho, Wanderson Ferreira de Paula Silva e Alan Neves da Conceição, foram condenados a cinco anos de prisão. Atualmente no país existem 600 presos em diversos estabelecimentos penais de outros países cumprindo pena.

(Informações site Capitan Bado)

Mais notícias