Motorista sem CNH que provocou acidente terá que fazer tratamento para alcoolismo

Vítima do acidente teve um pé amputado

Homem de 46 anos detido em flagrante na noite de sábado (30) por provocar um acidente de trânsito teve a liberdade provisória concedida. Ele passou por audiência de custódia nesta segunda-feira (2) e pode aguardar em liberdade, com medidas restritivas.

A juíza Liliana de Oliveira Monteiro converteu a prisão em flagrante em liberdade provisória, sendo que o acusado deverá frequentar o Caps (Centro de Apoio Psicossocial) de Campo Grande para tratamento de vício de álcool, não poderá frequentar bares nem se ausentar da cidade. Além disso usará tornozeleira eletrônica e deve se recolher em casa no período noturno.

No entanto, ele tinha um mandado em aberto por não pagar pensão alimentícia e pode permanecer preso.

Acidente e amputação

O motociclista de 52 anos que sofreu o acidente na Mata do Jacinto teve o pé amputado, conforme informações da polícia e do hospital. O motorista de 46 anos que provocou o acidente responderá por tentativa de homicídio e disse que não lembra do ocorrido. A polícia entendeu que houve dolo, ou seja, intenção.

O motorista dirigia sem CNH (Carteira Nacional de Habilitação) e embriagado, assumindo os riscos de possível acidente. Ele invadiu a pista contrária e colidiu na moto onde estavam o homem de 52 anos e uma mulher, de 43 anos.

O piloto da motocicleta sofreu amputação do pé e a passageira traumatismo craniano. Em depoimento, o motorista, que seria foragido da justiça, disse que apenas lembrava de estar voltando do trabalho quando ocorreu o acidente. Ele foi autuado pela tentativa de homicídio e dirigir embriagado, além de posse de droga já que maconha foi encontrada no carro.

O motociclista permanece internado na Santa Casa de Campo Grande após passar pelo procedimento cirúrgico.

Mais notícias