Motorista de aplicativo é assediada por passageiro que pegou no Carandá

Ela acredita que ele tenha feito outras vítimas

Mulher de 31 anos procurou a Polícia Civil para denunciar caso de importunação sexual, sofrido na madrugada de domingo (27) enquanto ela trabalhava. A motorista de aplicativo buscou passageiro no Carandá Bosque, que assediou a vítima após dizer que “tinha problemas”.

Segundo relato da vítima, ela buscou o rapaz, que aparentava ter entre 25 e 30 anos, nas proximidades do Parque das Nações, no Carandá Bosque. Ele tinha como destino o Bairro Piratininga e quando entrou no carro disse para a motorista que tinha problemas e abaixou a cabeça.

A motorista perguntou se ele estava bêbado, se estava passando mal e também se precisava de alguma coisa ou que ela parasse. Ele não respondeu, mas depois começou a conversar normalmente com a vítima. Em determinado momento ele passou a fazer elogios para a mulher e depois pedia desculpas dizendo que estava se excedendo.

Ele chegou a perguntar se a vítima era solteira e ela parou de responder. O rapaz disse que estava indo para casa no Bairro Piratininga. Quando a motorista estava nas proximidades da Avenida Fernando Correa, em um local um pouco ermo, o passageiro teria dito para ela encostar o carro. “Encosta o carro e vamos transar”, conforme as palavras do suspeito para a vítima.

A mulher ainda revelou que o passageiro já tinha tentado tirar a roupa em determinado momento. Após a ameaça ela acelerou e parou em um posto, exigindo que ele descesse e encerrando a corrida. Ela contou que estava atordoada e nem conseguiu contar para os frentistas do posto o que tinha acontecido.

Naquela madrugada a vítima ainda fez outras corridas e só percebeu o que tinha ocorrido quando parou de trabalhar. Ela avisou a empresa para qual trabalha, que vai investigar o caso e repassar informações do passageiro para a Polícia Civil. O caso foi registrado como importunação sexual na Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher) e a vítima acredita que outras motoristas já tenham sido assediadas pelo rapaz.

Conforme a mulher, a forma como ele falou com ela deu a entender que já tinha importunado outras motoristas. Em determinado momento ele ainda entrou em contradição e pediu para ela voltar ao Carandá e deixar ele lá, pois era o bairro onde morava. Segundo a delegada Fernanda Félix, titular da Deam, só em Campo Grande já foram registrados 81 casos de importunação sexual neste ano, sendo 360 em todo o Estado.

A delegada enviou e-mail para a empresa do aplicativo e solicitou as informações do suspeito, que será indiciado pela importunação.

Mais notícias