Membros do PCC são denunciados por massacre em presídio durante guerra com Rotela

10 presos foram mortos decapitados e carbonizados no dia 16 de junho

O Ministério Público paraguaio apresentou denúncia contra os membros da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital) pelo massacre que aconteceu no dia 16 de junho, na penitenciária de San Pedro. 10 detentos foram mortos decapitados e carbonizados.

A denúncia apresentada contra 28 membros da facção por motim, homicídio intencional e tentativa de homicídio. Entre os processados estão cinco brasileiros, Willian Santos De Jesús (25), Vagner Alexandre Knorst (29), Jackson Da Silva De Paula (29), Ronaldo César Dos Santos (30) e Edison Silva Da Cruz (25), além do chileno David. Andi Izquierdo Ibacache (31), segundo o site ABC Color.

O massacre aconteceu no dia 16 de junho deste ano, quando 10 detentos foram assassinados durante uma guerra entre os membros do PCC e do Clã Rotela. Os mortos foram identificados como Derlis Silvia, Pedro Duarte, José Osorio, Roberto Morales, Roberto Presentado, Roque Ariel Lugo, Cristian Dominguez, Victor Olmedo, Derlis Sanches e Bruno Cuttier – que chegou a ser socorrido, mas morreu no hospital.

O motim foi motivado por vingança, do rei do crack, Armando Rotela. A vingança teria sido arquitetada por Armando depois de membros do seu clã teriam sido assassinados por membros da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital) e em resposta foi o motim teria sido organizado.

Mais notícias