Polícia investiga se médico foi executado por paciente insatisfeito com plástica

Outra linha de investigação da polícia seria crime passional

A polícia de Pedro Juan Caballero, na fronteira com Ponta Porã – a 346 quilômetros de Campo Grande – tem duas linhas de investigação para o assassinato do médico José Marcial Centurion Cáceres, 50 anos, morto nesta terça-feira (11), quando deixava o plantão no hospital, onde trabalhava.

O médico foi executado com mais de 18 tiros, quando saía do plantão de trabalho no IPS (Instituto de Prevision Social). Testemunhas contaram à polícia que o suspeito pelo crime estava à espera da vítima a horas. Investigações da polícia trabalham com duas hipóteses para o caso.

Segundo o site ABC Color, a polícia paraguaia acredita que uma das linhas seria negligência do médico, que também é pós-graduado em cirurgia plástica e que havia feito um implante de mama, que teve problemas depois.

Outra hipótese não descartada pela polícia é de crime passional, mas não há informações detalhadas sobre está linha de investigação. Imagens de câmeras de segurança do local podem ajudar a polícia a identificar o autor do assassinato.

 

Mais notícias